17 jun

Vendas do comércio desabam 16,8% em abril, prior resultado da série histórica do IBGE

Fonte: G1 As vendas do comércio varejista registraram tombo recorde de 16,8% em abril, na comparação com março, refletindo o fechamento de lojas por todo o país, segundo dados divulgados nesta terça-feira (16) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). “É o pior resultado desde o início da série histórica, em janeiro de 2000, e a segunda queda consecutiva, acumulando uma perda de 18,6% no período”, informou o IBGE. Na comparação com abril do ano passado, a queda também foi de 16,8%. Esta foi a primeira vez que a pesquisa do varejo refletiu um mês inteiro sob o quadro de isolamento social e de restrições para o comércio, que começaram no país na segunda quinzena de março. O IBGE revisou a queda do comércio em março. A queda registrada no mês foi de 2,1%, menos intensa que a divulgada anteriormente, que era de 2,5%. No acumulado no ano, o setor passa a registrar queda de 3%. Já no acumulado nos últimos 12 meses ainda tem alta de 0,7%. Com o tombo de abril, o patamar de vendas do comércio…[+]
16 jun

Goianos usam cartão digital de auxílio em supermercados

O recurso também pode ser usado em farmácias, postos de combustível e para pagar algumas contas, mas adesão ainda é pequena Fonte: O Popular O cartão digital de recebimento do auxílio emergencial pode ser usado para pagar contas em estabelecimentos como supermercados, farmácias, postos de combustíveis e até em algumas redes varejistas de móveis e eletrodomésticos, além de alguns boletos. Mas, em Goiás, o recurso eletrônico está sendo mais usado na compra de alimentos em supermercados, pois a adesão de farmácias e postos ao sistema de pagamento ainda é muito pequena. O objetivo do cartão de débito virtual é reduzir as aglomerações nas agências da Caixa e casas lotéricas durante a pandemia. Por enquanto, a maior adesão é de redes supermercadistas, como Carrefour, Extra, Atacadão, Pão de Açúcar e Assaí, que já aceitam este tipo de pagamento. Mas empresários do setor supermercadista do Estado informaram que muita gente está utilizando o benefício apenas para comprar carne para churrasco e bebidas alcoólicas. “Cerca de 50% do auxílio está sendo usado para…[+]
15 jun

Com Ceasa fechada às quartas e sábados, pode faltar alimento

Estimativa é das entidades que trabalham com hortifrutigranjeiros. Prejuízo de comerciantes e feirantes pode ser alto Fonte: Mais Goiás O fechamento da Central de Abastecimento de Goiás (Ceasa-GO) às quartas e aos sábados para desinfecção pode impactar na qualidade e no abastecimento de produtos. É o que diz o Sindicato do Comércio Varejista de Feirantes e Vendedores Ambulantes de Goiás (Sindifeirante) e a Associação Goiana de Supermercados (Agos). Ambas também não descartam a possibilidade de começar a faltar alguns hortifrutigranjeiros. Um dos maiores impactos para os feirantes, de acordo com o gerente financeiro do Sindifeirante, Luiz Henrique Mendanha, é a mudança da rotina para aquisição de produto no local. Segundo ele, o feirante que compra no mesmo dia de revenda terá que se adequar para realizar um estoque de produto, o que pode levar a prejuízo. O mesmo acontece com os clientes que iriam no local nos dias que serão fechados para realizar as compras. “Temos feirantes que compram R$ 3 mil em compras semanalmente e agora terá que dobrar a…[+]
15 jun

Presidente da ABRAS participa de videoconferência com ministro Paulo Guedes

O presidente da Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS), João Sanzovo Neto, participou na tarde desta sexta-feira (12), de videoconferência com o Ministro da Economia, Paulo Guedes. Estiveram no encontro virtual cerca de 25 entidades de diversos setores, incluindo os membros da União Nacional de Entidades do Comércio e Serviços (UNECS). Na oportunidade Guedes falou sobre a desburocratização do acesso ao crédito para as micro e pequenas empresas durante a pandemia, prorrogação de MPs relacionadas à covid-19, retomada da atividade econômica, além das perspectivas para a volta do crescimento do país, entre outros temas. Também participaram o secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos da Costa; o assessor especial do Ministério da Economia, Afif Domingos; os presidentes das entidades que compõem a Unecs: George Pinheiro (UNECS e CACB), Emerson Destro (ABAD), Glauco Humai (ABRASCE), Paulo Solmucci (ABRASEL), Paulo Peguim (AFRAC), Nabil Sahyoun (ALSHOP), Geraldo Defalco (ANAMACO) e José César da Costa (CNDL), entre outros empresários. [+]
10 jun

Receita Federal regulamenta Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte

Pronampe beneficiará cerca de 4,5 milhões de pequenos negócios frente à crise causada pela Covid-19 Fonte: Ministério da Economia A Receita Federal iniciará envio de comunicado às Microempresas (ME) e Empresas de Pequeno Porte (EPP), com a informação do valor da receita bruta, com base nas declarações desses contribuintes ao fisco, para viabilizar a análise à linha de crédito do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), junto às instituições financeiras. Nesta primeira etapa, receberão o comunicado, a partir de 9 de junho, via Domicílio Tributário Eletrônico do Simples Nacional (DTE-SN) as ME e EPP optantes pelo Simples Nacional. Numa segunda etapa, que terá início, a partir do dia 11 de junho, o comunicado será enviado via Caixa postal localizada no e-CAC às ME e EPP não incluídas no Simples Nacional. Critérios Terão direito ao programa as empresas com data de abertura até 31 de dezembro de 2019. Somente receberão…[+]
10 jun

Governo prorrogará prazo de suspensão de contratos e redução de jornada

Fonte: G1 O Governo Federal decidiu prorrogar, por pelo menos mais um mês, os prazos previstos na Medida Provisória 936/2020, que permite a redução de jornada e de salários em até 70% e a suspensão de contratos de trabalho durante a pandemia do novo coronavírus. Segundo a CNN apurou com fontes da equipe econômica, a prorrogação será oficialmente anunciada após a MP ser aprovada pelo Congresso. A proposta já foi aprovada pela Câmara e deve ser votada nesta quarta-feira (10) no plenário do Senado. De acordo com o texto aprovado pelos deputados e que deve ser chancelado pelos senadores, as empresas podem suspender os contratos de trabalho de seus empregados por até 60 dias. Já a redução da jornada e dos salários não poderia passar de 90 dias. A decisão do Governo é prorrogar cada um desses prazos inicialmente por mais 30 dias. A medida será possível após a Câmara, em acordo com Governo, aprovar um dispositivo que permitiu o executivo prorrogar prazos por meio de um decreto presidencial. [+]
09 jun

Guedes confirma prorrogação do Auxílio Emergencial por dois meses

Fonte:Agência Brasil O ministro da Economia, Paulo Guedes, confirmou hoje (9) que o auxílio emergencial será prorrogado por mais dois meses, conforme já havia sido anunciado pelo presidente Jair Bolsonaro e que, durante esse tempo, o setor produtivo pode se preparar para retomar as atividades, com a adoção de protocolos de segurança. “E depois “, disse Guedes, durante a 34ª Reunião do Conselho de Governo. O auxílio é um benefício financeiro concedido pelo governo federal a trabalhadores informais, microempreendedores individuais, autônomos e desempregados, e visa fornecer proteção no período de enfrentamento à crise provocada pela pandemia do novo coronavírus, causador da covid-19. Inicialmente, a previsão era o pagamento de três parcelas de R$ 600 (R$ 1,2 mil para mães solteiras). Na semana passada, o secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, informou que a eventual prorrogação do auxílio emergencial por mais dois meses deve elevar o custo do programa para um valor entre…[+]